Depressão pós parto



A depressão pós parto possui certos aspectos e características que valem a pena ser observadas ainda na gestação, desta forma a família poderá se preparar melhor para o problema que poderá surgir com maior intensidade após o parto. Embora a origem desses sintomas possa ser, de fato, desconhecida, ler sobre o assunto e aprender a reconhecer o problema, pode auxiliar a mãe e seus familiares a agirem antes que a doença venha a se tornar um fardo muito pesado. Alguns cuidados também podem ser tomados como forma de se preparar para um possível caso de depressão na família como, acompanhamento pré natal e acompanhamento psiquiátrico, sobretudo em casos da doença mental na família.

Sintomas da depressão pós parto

A mulher sonha em ser mãe, brinca de ser mãe com suas bonecas, e já sentiu inveja, ou ciúmes, desse papel tão importante da mulher, mas quando a criança se torna adolescente, o conflito com os pais, os dilemas da juventude e diversas complexidades que surgem ao longo da vida,  podem proporcionar medo, insegurança, traumas e frustrações que, podem, ou, não, ser um gatilho para a doença mental pós parto. Por isso é muito importante ficar atento a todos os sintomas.

Os sintomas da depressão pós parto são:

  • Insônia;
  • Tristeza profunda;
  • Desânimo;
  • Olhar perdido;
  • Choro sem causa aparente;
  • Irritação;
  • Ansiedade;
  • Preocupação exagerada entre outros.

Assim que nos deparamos com a realidade materna, imediatamente passamos a conhecer muitos medos , o medo de não ser boa mãe , de seus bebês não nascerem saudáveis , e medo do próprio parto. Muitas vezes o sonho de ser mãe é adiado devido a esses conflitos internos inesperados. A maioria das mulheres têm altos e baixos picos de humor, pós parto.

depressão pós parto

O pós parto é uma fase propícia a depressão

A depressão surge com perturbações do estado de ânimo que produzem uma tristeza sem causa e compaixão própria. Algumas mulheres, rejeitam o bebê, e esse é o ato mais óbvio da depressão pós parto. Porém, nem sempre isso acontece. Algumas mulheres com depressão pós parto podem desenvolver síndrome do pânico, e ou, atitudes exageradas referente a questões simples e cotidianas como, mania de limpeza por medo de contaminação, e outros tipos de transtornos obsessivos.

A depressão deve ser observada e tratada logo no início do problema, com medicamentos específicos, boa alimentação, exercícios físicos e qualidade de vida. Contudo, a doente apresenta picos de melhoria e recaída que devem ser observados por acompanhamento médico. Na maioria dos casos a pessoa reage e pode retornar a seu estilo de vida normalmente.

Como cuidar de uma mulher com depressão pós parto

É essencial estar sempre presente ao lado da mãe que acabou de dar a luz em caso de depressão pós parto. Ela precisará estabelecer as horas de sono, reduzir o estresse, alimentar-se corretamente, e ser estimulada com pequenas doses de carinho e atenção. A paciência e o amor de seus familiares será um dos fatores mais importantes neste momento de dor e sofrimento. Todo e qualquer estímulo negativo como brigas, discussões, excesso de barulho ou desentendimentos corriqueiros, podem prejudicar a sua recuperação, torná-la mais difícil e demorada.

Evite contudo, forçar a pessoa com depressão a fazer atividades que ela não queira ou não sinta vontade. A pressão pela sua melhora não ajudará em nada, e ainda causará um mal estar desnecessário em todos da família.

Tratamento da depressão pós parto

Para tratar a depressão pós parto a mulher deverá consultar um médico psiquiatra. Será ele quem deverá avaliar o grau de depressão pelo qual a pessoa está passando para definir de que forma  poderá administrar um tratamento correto. Dependendo do diagnóstico, medicamentos como, antidepressivos, deverão passar a ser administrados pela paciente, muitas vezes associados a outros tipos de terapia. A maioria das pessoas com depressão pós parto se recuperam totalmente da doença.

Familiares e pessoas muito próximas de mulheres com depressão pós parto também acabam sofrendo com o problema, e por isso devem buscar por grupos de apoio e evitar a exaustão. Relaxe pelo menos alguns dias na semana, não permita que sua qualidade de vida seja afetada de maneira drástica, contribua como puder, mas sem se deixar adoecer. É preciso que todos os soldados estejam fortalecidos para festejar o final da guerra.

Teka

Redatora e ilustradora de conteúdo para sites na internet. Curiosa, pesquisadora e investigativa. Tinha o sonho de se tornar astronauta. Acredita que um dia encontrará a "arca da aliança" e trocará informações com civilizações avançadas de outros planetas. Casada há 20 anos, mãe de 3 filhos, compartilhando experiências.

2 thoughts on “Depressão pós parto

  1. Tonho Mauro says:

    Nesta hora é muito importante a presença do pai junto com a mãe. Ele deve dar apoio, carinho, atenção e afeto. Assim como deve ter paciência em situações como estas e ter a cabeça no lugar de tentar buscar auxílio da família ou a médicos. Muito bom o artigo.

    Abraços.

  2. Rodrigo says:

    Eu também tive depressão pós-parto! Que não me olhe assim não! Você sabia que homem também podem ter depressão pós-parto? Pois é podem. Ela acontece, na maioria das vezes, quando a esposa tem depressão pós-parto e minha esposa teve mas no caso dela não rejeitou a criança ela queria proteger demais e não se sentia capaz de cuidar. Foi uma fase terrível da minha vida e quando ela já estava se tratando e estava bem melhor que eu vi (ela que me avisou) que eu é que não estava nada bem mas com uma série de remédios estou bem agora. Ainda tomo alguma coisa, pois tive uma recaída a um tempinho atrás, mas já estou diminuindo a medicação progressivamente. A recuperação da mulher nesses casos é bem mais lenta (no caso da minha esposa).
    Um abraço,

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *