Por que as crianças mentem?



Segundo especialistas no assunto as crianças mentem por que é o que os pais as ensinam!Sem perceber colocamos nossos filhos em situações que os “obrigam” a mentir ou damos o mal exemplo sem querer.As crianças podem mentir por que em momentos infelizes precisam viver constantemente na fantasia, ou por se verem em situações em que se sentem encurraladas e humilhadas.Vamos entender melhor esta questão.

Quando obrigamos nossos filhos a mentir?

As vezes criamos situações que forçam nossos filhos a mentir, sem que tenhamos plena consciência disso.Uma situação comum criada por nós mesmos é a deste exemplo:

Meus filhos se amam e se entendem bem, não é mesmo meu filho?”

Muitas vezes a criança acaba concordando com esse tipo de pergunta afirmativa, mesmo que a realidade não seja bem essa, afinal crianças se desentendem o tempo todo, e esse tipo de pergunta, que só aceita uma única resposta, induz a criança a mentir.As crianças percebem que foram forçadas a concordar com os pais neste momento, e sentem que poderão reproduzir a mesma situação quando precisarem.

As crianças também mentem quando sentem medo, e a culpa é novamente dos pais.Devido a situações em que os pais se frustram com os erros dos filhos, o medo de causar uma nova frustração os força a mentir, principalmente quando desconfiam que serão punidos.

Outra situação causadora da mentira, acontece quando em companhia dos filhos, os pais mentem para manter a própria imagem íntegra, com afirmações do tipo, “… eu nunca falei mal da minha sogra”, sendo esta uma mentira (neste exemplo), acontece da criança assimilar a falsa colocação dos pais, e podem repeti-la, ou pior ainda, desmentir os pais ao perceber que a frase não condiz com os fatos, e receber uma punição por dizerem  a verdade.Receber uma punição por dizerem a verdade é o cúmulo do mal exemplo, mas acontece, alguns pais agem por impulso e mais tarde nem se lembram de corrigir o erro cometido.

E quanto ao Papai Noel e o Coelhinho da Páscoa?

Papai Noel e coelhinho da Páscoa, de mãos dadas com o Anjo do dente, serão demonstrações eternas da imagem de quão mentirosos os pais podem ser, com direito a traumas profundos de descrença, até mesmo espiritual.Porém, diante  da maioria absoluta de pais que induzem os filhos a serem obedientes para ganhar presentes de seres imaginários, os pais relatadores da verdade  são cruéis ditadores, ou seja, muitos pais também são forçados a mentir para seus filhos apenas para manterem-se livre de julgamentos.Então o que fazer?

Meu filho acredita no Papai Noel

Se o seu filho acredita em Papai Noel, coelhinho da Páscoa e Anjo do dente, será preciso muita consideração no momento de revelar a verdade.Primeiro coloque o Papai Noel como uma pessoa comum, um simples fabricante de brinquedos, e depois dê exemplo de pessoas que, assim como o Papai Noel, presenteiam crianças na época do Natal.Conte-lhe que também já foi um Papai Noel, e que todos se inspiram no Papai Noel para doar presentes às crianças.Seja honesto e diga que este bom velhinho, se existiu de fato,  já não habita mais este mundo, mas deixou para as pessoas um exemplo de humildade e caridade a ser seguido, por isso dizemos que é o Papai Noel que presenteia as crianças, para manter este espírito vivo.

Não quero que meu filho acredite no Papai Noel

Se você prefere não inspirar o seu filho com o Papai Noel, conte-lhe apenas o que ele representa.O Papai Noel representa o espírito do Natal.Devemos compartilhar este espírito de caridade e humildade presenteando as crianças e sendo gentis para mantermos o bom relacionamento entre as pessoas, tornando-as felizes.

E quanto ao Natal simbolizar o nascimento de Jesus e não o Papai Noel?

O dia 25 de Dezembro foi determinado pela igreja cristã como o dia em que Jesus nasceu.Como ainda não há nenhum indício histórico que comprove esta data como sendo o real acontecimento cristão,  esta passa a ser uma data simbólica criada por religiosos que pretendem se lembrar e homenagear uma pessoa muito querida.Sendo assim, não considero mal algum relacionar o espírito de Natal, a caridade e a confraternização exemplificada pelo Papai Noel, com uma data de aniversário, mesmo por quê, há ainda os que compartilham a caridade e a confraternização exemplificadas pelo Papai Noel, em nome de Jesus, para lembrá-lo e homenageá-lo.Mas quero deixar claro que, o Papai Noel não está tomando para si o título de criador da caridade e da confraternização, como muitos podem pensar ao ler a frase anterior, pois nascemos com estes dons, mas sim exemplo de que a prática do amor ao próximo deve ser exercida por todos, então,  por que não em uma data comemorativa?E por que não em uma data em que os cristãos acreditam que tenha nascido o maior exemplo de caridade e amor no mundo?Muitas pessoas não são religiosas, mas mantém o amor e a caridade dentro de si, considero válida praticá-las no Natal a exemplo do Papai Noel como a maioria o pratica.

Independente da crença religiosa de cada família, o Natal dever ser uma data inspiradora, faz bem às pessoas acreditar que existe uma esfera de amor e harmonia em uma determinada época do ano, quando todas as pessoas podem ser melhores.Nós só podemos ser melhores quando praticamos o melhor de nós mesmos, então, se praticarmos o que temos de bom, estaremos celebrando uma data muito especial sendo esta a data do nascimento de Jesus ou não.

E quanto ao coelhinho da Páscoa e o Anjo do dente?

Pra começar coelhos não botam ovos!Esta é a primeira questão que virá à mente de uma criança em nível escolar, e pra acabar,  anjos são seres espirituais e não trabalham,  portanto não ganham dinheiro para pagar um dente.E agora?

O coelhinho da Páscoa

A Páscoa é primeiramente uma data judia, ela representa uma etapa da vida dos judeus, mas os cristãos adaptaram a Páscoa judia à ressurreição de Jesus e isto por si só já nos traz uma grande confusão.Para facilitar o entendimento vamos dizer que ambas as religiões comemoram um renascimento e pronto.Mas o que os ovos e os coelhos têm a ver com isso?

Bom, os ovos representam o nascimento e os coelhos geram muitos filhotes, e aí está a relação entre eles e a Páscoa, muitos nascimentos!O que não está em nenhuma das tradições são os ovos de chocolate, esta tradição é industrial.

Nós podemos simplesmente transmitir a nossos filhos a necessidade de nos lembrarmos sempre da renovação e nascimento que o coelho e os ovos representam.A possibilidade que temos de sempre estarmos nos renovando.

O anjo do dente

Sendo este um ser bíblico, creio que apenas os cristãos e espiritualistas se inclinem a falar sobre ele, assim, estes devem desenvolver uma relação com a própria crença.

Quando as crianças mentem para fugir da realidade em que vivem

A vida não é fácil para muitas crianças, não importa a classe social.O divórcio, as brigas constantes entre os pais, espancamento, abuso sexual, perda de um parente próximo, má adaptação no colégio, ou qualquer outro tipo de trauma, podem causar transtornos que poderão se tornar obssessivos, e graves.

Alguns exemplos desses trantornos são: Stress Infantil, Anorexia Infantil, Obesidade, Depressão, e Enurese (xixi na cama), e mentira constante.

Você poderá perceber a mentira que não é ocasionada por medo de uma repreensão ou receio de decepcionar os pais, quando a estória contada levar a criança para um outro lugar na sua própria fantasia, ou ainda quando estiver relacionada à amigos imaginários.

Outra situação menos grave, mas que precisa de acompanhamento, envolve pequenas mentiras contadas à coleguinhas e professores na escola.As crianças percebem quando estão sendo menosprezadas por não possuírem materiais, roupas e objetos que outras crianças possuem.Se elas se sentirem isoladas por conta de situações como estas, poderão tentar resolver mentindo.O problema está no hábito.

Como educar sem causar medo para evitar que sintam a necessidade de mentir?

A responsabilidade dos pais é imensa e pesa muito na criação dos filhos, a nossa postura será o espelho do caráter dessas criaturinhas enquanto crescem, uma dica é sempre prezar pela conversa, e pela repreensão educativa.A repreensão que educa, deve colocar a criança na mesma situação em que ela te colocou, seja num exemplo, ou na prática.

O ideal é faze –la perceber o erro, e depois de compreendido, pedir garantias de que não errará novamente.Uma repreensão mais dura, como um dia sem video game, ou um fim de semana sem passeio, só deverá ser aplicada em caso de novo erro.

No mais, o diálogo é extremamente importante, sem tabus ameaças ou repreendas!

Teka

Redatora e ilustradora de conteúdo para sites na internet. Curiosa, pesquisadora e investigativa. Tinha o sonho de se tornar astronauta. Acredita que um dia encontrará a "arca da aliança" e trocará informações com civilizações avançadas de outros planetas. Casada há 20 anos, mãe de 3 filhos, compartilhando experiências.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *