Meu filho sofre de gagueira



Meu filho sofre de gagueira, o que fazer? Segundo a Associação Brasileira de Gagueira (ABRA gagueira), existe cerca de 1 milhão e seiscentas mil pessoas que manifestam a gagueira no país. Deste número estatístico, não se sabe ao certo a porcentagem de crianças gagas, isto por quê, os sintomas da disfunção evoluem em graus variados de severidade e geralmente desaparecem até a puberdade.Os primeiros sinais da gagueira emergem logo aos 18 meses de vida do bebê, e se desenvolve até os 7 aos 12 anos de idade da criança.Essa disfunção motora pode ser descrita como disfunção de controle motor e temporal da fala, dinâmica, e evolutiva.

Saiba mais sobre o problema:

gagueira

A gagueira é genética?

Sabe – se que 80% dos casos de gagueira correspondem à genética, mas pouco menos de 1% dos adultos prevalecem com o problema.A gagueira também pode estar associada a processos linguísticos, fatores emocionais, organização motora da fala e outros aspectos.

Outros aspectos que podem causar a gagueira:

Além da genética existem fatores que podem proporcionar os sintomas da gagueira.A questão emocional tem um peso relevante de agravamento ou surgimento da disfunção, geralmente afetam crianças que perderam parentes próximos, sofreram pressão durante o aprendizado da fala, ou exigência de perfeccionismo na infância.

O stress acumulado nesta fase é apontado por psicólogos como um fator desencadeante do processo de gagueira nas crianças.

Como saber se meu filho é gago?

Os sintomas da gagueira são: repetição de palavras (três vezes ou mais), repetição de sílabas, repetição de sons, prolongamentos, bloqueios, pausas longas e intrusão.Assim que a criança começa a falar, a repetição e excitação da fala pode ser comum à fase de aprendizado da linguagem, sendo que a criança não gaga não deverá apresentar tantos sintomas de gagueira, deixando de repetir algumas palavras, a partir dos três anos de idade.

Já a criança gaga, além de permanecer com dificuldades na fala, apresentará certos tiques como: piscar de olhos, movimentos de cabeça mãos e pés.

Tratamento da gagueira

O tratamento é longo e varia de exercícios respiratórios até a psicoterapia e a hipnose.Mas os pais também podem auxiliar o tratamento em casa, evitando situações que causem tensão e stress.

O ambiente familiar deve ser sereno e tranquilo, principalmente em relação ao convívio com a criança, ou seja, nunca se irrite se estiver com pressa e a criança não estiver conseguindo se expressar, não a pressione, quanto mais relaxada e segura maior será a sua evolução.

Converse com a diretora e a professora da escola, para que haja a inclusão da criança gaga entre os outros alunos.

A escola ainda poderá trabalhar com a conscientização das crianças da classe, perante pequenas dificuldades que todos encontramos ao nos expressar, sem que a gagueira passe a ser motivo de piada, e consequente constrangimento para a criança que sofre com o problema.

Procure ser paciente, e mesmo que saiba o final da frase a ser concluída, não a conclua!

Encorage suas habilidades, e não supervalorize o problema, afastando a criança das outras acreditando que a estará protegendo.

Siga sempre seu coração, e tente controlar seus impulsos.

Fonte Pesquisa: ABRAgagueira
Valdivino Alves De Sousa

 

Teka

Redatora e ilustradora de conteúdo para sites na internet. Curiosa, pesquisadora e investigativa. Tinha o sonho de se tornar astronauta. Acredita que um dia encontrará a "arca da aliança" e trocará informações com civilizações avançadas de outros planetas. Casada há 20 anos, mãe de 3 filhos, compartilhando experiências.

3 thoughts on “Meu filho sofre de gagueira

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *