Home » Só para mulheres... » O que é e como se trata o câncer de mama

O que é e como se trata o câncer de mama


Curiosamente o câncer de mama acomete mais mulheres brasileiras, e é mais comum que o câncer do colo do útero.A faixa etária mais afetada pela doença de câncer de mama está entre os quarenta e cinquenta anos, o que não significa que mulheres jovens também não possam adquirir a doença.O câncer de mama tem cura desde que diagnosticado cedo, e é este incentivo que promove a prática do auto exame da mama diariamente.

Tire todas as suas dúvidas nesta página!

O que é o câncer de mama?

O câncer de mama maligno é originado pela multiplicação desordenada das células que formam o tumor.Essas células podem se espalhar pelo corpo afetando outros órgãos, caso a doença não seja devidamente tratada.Pela fácil multiplicação e capacidade de transformar células sadias em tumores, chamamos esse tipo de tumor de maligno.

O que é o tumor benigno?

O tumor dito benigno, não se espalha pelo corpo, são nódulos que aparecem na região da mama e geralmente recebem o nome de cistos ou fibroadenomas.Este tipo de tumor cresce até certo ponto, e podem ser retirados com anestesia local, em uma cirurgia simples.

Diagnóstico do câncer de mama

O diagnóstico deste tipo de câncer poderá ser realizado através de exames periódicos de mamografia, e auto exame da mama.A mamografia é um método simples de raio – X muito eficaz nesse tipo de diagnóstico, pois podem ajudar o médico a identificar o tumor ainda muito pequeno.

Quanto menor o tumor é diagnosticado, maiores são as chances de cura.

O exame também poderá ser realizado pelo ginecologista ou mastologista de seis em seis meses.

Caso o médico encontre algum tipo de organismo suspeito, ele deverá pedir uma biópsia.A biópsia consiste na retirada do nódulo para análise, e confirmação de malignidade ou não do organismo.

Qual a causa do câncer de mama?

Ainda não há uma pesquisa conclusiva a respeito da causa do câncer de mama, mas existem alguns fatores que podem nos ajudar a prevenir a doença.

Sabemos que o fumo, a obesidade, a genética, hormônio (estrogênio), excesso de álcool, exposição a radiação, ferimento no seio, nunca ter tido filhos ou ter tido filhos somente após os trinta anos, podem ser fatores que contribuem para o surgimento do câncer de mama.

Sintomas

O principal sintoma é a percepção de um nódulo no seio ou sob as axilas, seguidos por mudança na cor da pele, reentranças na pele, e secreção no bico do seio.O tumor maligno não apresenta dor no local do nódulo.

Homem também tem câncer de mama

A taxa de incidência do câncer de mama em homens ainda é muito baixa, apenas cerca de 1% de câncer de mama maligno, é masculino.Mas essa taxa vem aumentando a cada ano, devido a falta de hábito dos homens em se auto examinar.O Instituto Nacional do Câncer, órgão ligado ao Ministério da Saúde, estima que surjam cerca de 250 casos novos em todo Brasil, baseado nos números de 2002.

A faixa etária, diagnóstico e tratamento coincidem com os tipos femininos.

Tratamento do câncer de mama

Assim que o tumor for diagnosticado como maligno, o paciente deverá passar por uma cirurgia para a sua retirada.A retirada parcial ou total da mama deverá partir de decisão médica, o que varia de caso em caso, dependendo da evolução do problema.Alguns tipos de tratamento deverão ser receitados pelo médico a partir de então.

A radioterapia e a quimioterapia são dois dos tratamentos a ser considerados no auxílio da cura contra o câncer.

O que é a Radioterapia?

A radioterapia é um tratamento que emite radiação direta no tumor , evitando seu desenvolvimento , ou o reaparecimento de novas células cancerígenas no local.As aplicações duram em média 15 minutos e perduraram por cerca de 15 a 30 sessões diárias.É um tratamento que não apresenta complicações a não ser uma mancha como a de sol no local da aplicação.

O que é Quimioterapia?

A quimioterapia é um tratamento mais invasivo, e pode afetar células que se multiplicam rapidamente, além das células cancerígenas, causando mal estar e sintomas adversos, além de maiores complicações como anemia, diminuição da resistência a infecções causadas pela ação nas células produtoras dos glóbulos sangüíneos vermelhos e brancos, queda de pêlos e cabelos devido à ação nas células do folículo piloso, náuseas, vômitos e diarréia, em decorrência da ação nas células do aparelho digestivo, além da dificuldade de engravidar e parada da menstruação, já que as células do sistema reprodutor também são afetadas.

A substância é injetada através de soro por via endovenosa.

Após a administração do medicamento o paciente é liberado para voltar para casa, não havendo necessidade de internação.

Hormonioterapia

A hormonioterapia só é indicada em casos em que se comprove a relação do câncer com os hormônios da mulher.Neste caso o tratamento deverá ser a partir de pílulas ingeridas uma ou duas vezes ao dia, por um período de dois anos.

Iscador

Recentemente a atriz norte americana Suzanne Somers revelou em entrevista a CNN, que preferiu adotar o medicamento homeopata Iscador, ao invés da quimioterapia.Os médicos da atriz, Mel Silverstein e James Waisman, do USC-Norris Comprehensive Cancer Center, declararam à CNN que terapias alternativas em casos similares não devem substituir os tratamentos convencionais.

A base do Iscador é uma planta conhecida como Visco, e não há análise científica reconhecida sobre seus efeitos.

Em todo o caso, alguns médicos reconhecem o valor da homeopatia, e não descartam a possibilidade de um acompanhamento alternativo desde que os pacientes não substituam os métodos tradicionais utilizados.

Algumas doenças são muito complexas, e precisam ser tratadas de maneira abrangente, e a homeopatia geralmente não abrange todo o problema.

Fonte Pesquisa: CNN , Boa Saúde ,FAMERP


About Teka

Redatora e ilustradora de conteúdo para sites na internet.Casada há 17 anos, mãe de 3 filhos, compartilhando experiências.

One comment

  1. A informação é muito completa.
    Eu não tenho pessoas na família que tiveram cancer de mama. Mas eu me preocupo muito, especialmente porque eu tive uma pancada muito forte uns anos atrás. Segundo os médicos, não é motivo para me alarmar, porém eu continuo preocupada e por conta disso faço mamografia anualmente para me certificar.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Ad Plugin made by Free Wordpress Themes