O complexo de Édipo

psicanalise



O complexo de Édipo foi um pensamento estruturado pelo psicalista Sigmund Freud e  designado com o termo  por Carl Jung. Ele basicamente aceita que todas as crianças desenvolvem os sintomas de complexidade de sentimentos em relação aos pais a partir dos dois anos de idade, fase em que a sexualidade da criança começa a ser percebida por ela mesma.Isto significa que aos dois anos de idade a criança começa a perceber se é menino ou menina. Nesta fase a criança tem que lidar com a sensação de que pode amar a mãe e matar o pai, já que esta seria a forma mais óbvia de fazer o pai desaparecer. É claro que o sentido de morte na cabeça de uma criança de dois anos não se compara ao entendimento de um adulto, ou seja, nem sempre a morte está relacionada a violência física para uma criança, mas é neste contexto que se baseia o complexo de Édipo.

Como a criança passa a se sentir atraída pela mãe?

Desde o nascimento do bebê a mãe se dedica a seus cuidados, oferecendo carinho e atenção, esta proximidade é comum entre a maioria. O bebê sente-se seguro neste relacionamento até que, a percepção do que acontece a sua volta, a relação que a mãe tem com outras pessoas da família, é instintivamente assimilada como risco à sua tranquilidade.

A sensação de que existe alguém  que pode ter maior atenção da mãe do que a própria criança, é capaz de desencadear sentimentos competitivos e raivosos em relação a esta pessoa, geralmente o pai ou o irmão mais velho. Estes sentimentos podem gerar conflitos extremos que chegam próximo da agressividade física, dependendo da forma com que esta fase estiver sendo tratada. A reação vem em forma de revolta e repúdio ao pai ou parente muito próximo.

Como se desenvolve o complexo de Édipo?

Aos dois anos de idade, quando sua sexualidade passa a ser percebida por ela mesma, sua primeira intenção deverá ser a de identificação com pessoas do mesmo sexo e uma intenção de acasalamento com o sexo oposto. Nesta fase a criança intui que seus pais se acasalam e entende este comportamento com sentimento de exclusão.Freud chamou esta fase de cena primária, a origem do complexo de Édipo.

Como a criança resolve o complexo de Édipo de forma natural?

A criança lidará com a situação estabelecendo o superego, que é uma instância restritiva e repressiva.No superego se estruturam a moralidade e a ética, fatores controladores da impulsividade e da capacidade de agressão. Ela terá de lidar sozinha com esta fúria de sentimentos de forma a evitar que seus desejos se materializem.

A maioria das crianças superam bem este drama inconsciente sem se darem conta do momento difícil em que estão passando.

Como os pais podem auxiliar os filhos a passar por esta fase sem traumas?

Algumas pessoas podem acarretar pela vida toda sentimentos de culpa, ódio e dificuldade nos relacionamentos, por conta deste drama vivido na infância. Acontece da criança na vida adulta, demonstrar uma visão bastante crítica em relação ao mesmo sexo e desenvolver uma sedução muito forte com o sexo oposto. É o que geralmente se vê com filhos de mães separadas ou viúvas.

A psicanálise vê como forma de reflexo do Édipo, toda pessoa mal relacionada com o pai, mal relacionada com a mãe, ou com um parceiro.

Para auxiliar os filhos a passar por esta fase sem traumas, convém desestimular a competição com o pai. Muitos pais sentem ciúmes dos próprios filhos, e jogam esse sentimento sobre a criança provocando reações preferenciais. Não faz bem a criança ser perguntada sobre o seu familiar preferido, por exemplo: “Você gosta mais do papai ou da mamãe?”, ou, “Você quer vir com o papai ou com a mamãe?”, e assim por diante.

Os pais devem oferecer amor, carinho e tolerância para que os filhos aprendam como lidar com sentimentos tão conflitantes de raiva, repúdio, e amor ao mesmo tempo.

Meninas também podem sentir algum tipo de complexo?

As meninas também podem desenvolver os mesmos sintomas de complexidade de sentimentos que os meninos, neste caso denominado por Carl Jung como complexo de Electra.

O drama pode se desenvolver basicamente da mesma forma que o complexo de Édipo, mas ao invés da menina repudiar o pai, ela repudiará a mãe. Todo conflito entre mãe e filha que se seguir na vida adulta, também será considerada pela psicanálise como um complexo de Electra.

Para auxilia-las a manter uma postura mais ética e ajudá-las a desenvolver um superego equilibrado, os mesmos cuidados já relacionados acima em relação aos meninos, deverão ser aplicados.

Por que devemos passar por este drama na infância?

Quando crianças fazemos birra e somos repreendidos para que saibamos lidar com mais tolerância aos desejos que não podem nos ser atendidos na vida adulta. É nesta fase que estamos aprendendo a lidar com os sentimentos que podem vir acompanhados do amor. Por este e outros motivos é que devemos passar por este drama na infância, é para aprendermos a lidar com os sentimentos de raiva, ódio e culpa, de maneira a nos tornarmos pessoas melhores para nossos parceiros e filhos no futuro.

Quando as crianças assimilam a ideia de sexualidade e passam a se identificar com o pai ou a mãe pelo sexo, ela se torna uma aprendiz de homem ou mulher. As brincadeiras dos meninos passam a ser masculinas e dizem respeito ao gosto do pai, enquanto as meninas passam a brincar e se vestir como a mãe. É uma fase propícia ao bom entendimento entre as diferenças,  principalmente quando  dosada de amor, compreensão e carinho por parte do casal.

 

Teka

Redatora e ilustradora de conteúdo para sites na internet. Curiosa, pesquisadora e investigativa. Tinha o sonho de se tornar astronauta. Acredita que um dia encontrará a "arca da aliança" e trocará informações com civilizações avançadas de outros planetas. Casada há 20 anos, mãe de 3 filhos, compartilhando experiências.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *