Guia básico para pais

pais



Os homens dizem ter dificuldades para compreender as mulheres, mas quando estamos grávidas, tudo pode ficar ainda mais complicado, pois temos necessidades que até nós mesmas duvidamos. Sendo assim, pesquisei algumas das especificidades da mulher grávida, cuidados e precauções necessárias durante a gestação, e criei este artigo simples.

Espero que, a partir deste guia despretensioso, o casal que aguarda a chegada do primeiro bebê possa passar por esta fase de modo tranquilo e prazeroso.

Guia básico para pais

No primeiro trimestre de gestação a mulher grávida pode sofrer com vômitos, enjoos e emagrecimento rápido, que provoca fraqueza e indisposição. É importante saber quando procurar um médico nesta fase, e deve ser logo que ela não conseguir manter o peso.

Para auxiliar a companheira durante este período, colabore congelando cubos de gelo para o enjoo, e cuidando para que ela coma alguma coisa antes de se levantar pela manhã, para que não fique tão enjoada. Preste atenção em suas queixas, e procure satisfazê-la, de forma a aliviar o seu sofrimento. Lembre-se que cada gestação é diferente da outra, e que as necessidades mudam, assim como as dores no corpo e desconforto também. Não se espante se eventualmente a gestante se apresentar mais sensível e mais cansada em comparação com a última gravidez.

Ah! E desejo de grávida não é frescura não! Independente da opinião da sogra, a mulher grávida quando passa por mudanças significativas no corpo, apresenta necessidades de ingerir alimentos e nutrientes que lhe fazem falta no organismo. A preferência por alimentos cítricos também é muito comum, devido a uma insistente e inconveniente acidez no estômago que possui diversas razões. Convém ser gentil, compreensivo e paciente.

Os pais no segundo trimestre de gestação

Já passados os três primeiros meses de gravidez, a mulher se sente mais ativa, pois os enjoos tendem a diminuir de intensidade. Fique atento com a sua alimentação e ofereça sempre algo saudável, como iogurtes, frutas, verduras e peixes, para que ela se recupere rapidamente.

Experimente levá-la a passeios nos finais de semana para evitar o estresse. E dê apoio. Nesta fase o bebê já começa a se mexer e dá um pouco de medo, por que é quando nos damos realmente conta de que vamos ter um bebê. Algumas mulheres também ficam muito sensíveis por questões hormonais, então evite comentários que podem ser mal interpretados. Até que seu corpo volte ao normal a situação pode ser muito delicada.

Envolva-se na escolha do enxoval do bebê, na escolha dos móveis para o quarto, nome e demais preparativos. Nós mulheres gostamos de tomar a frente nestas escolhas, e o seu palpite provavelmente será ignorado, mas é bom saber que tem interesse.

Os pais no terceiro trimestre de gestação

Os pais têm um papel muito importante no último trimestre da gestação do bebê. São eles que atendem às mães quando não podem mais carregar peso, quando os pés estão muito inchados e elas não os alcançam para calçar os sapatos e, quando o simples fato de fazer algum exercício físico maior as deixam exaustas. Nesta fase as gestantes já não se aguentam mais, o desconforto pode ser quase insuportável, o bebê comprime a bexiga, as roupas não servem mais, os sapatos não entram nos pés, e, se o clima for de verão, haja ventiladores e ar condicionado. É nesta fase também, que alguns problemas de saúde costumam surgir como, pressão alta, contrações e dores.

Os pais durante o parto

Prepare-se para  o parto obtendo algumas informações sobre o processo da cesariana e dilatação, assim,  você entenderá que alguns dos acontecimentos são normais e já estavam previstos, não ficará tão nervoso ou preocupado. Durante o parto, é importante que os pais se mantenham calmos para evitar o estresse.

A gestante pode sentir dores horríveis no momento do parto, ou não. A dor no parto varia muito de mulher para mulher e de gestação para gestação. Se estiver marcada uma cesárea, a dor maior ocorrerá após o nascimento do bebê. Esteja preparado com medicamentos para o curativo do corte, especialize-se em cumprir esta operação e tudo correrá bem. Lembre-se também, de prevenir-se com almofadas, travesseiros e tudo o mais que for necessário para que ela possa ficar numa posição confortável e sentir menos dor.

Participe da amamentação do bebê apoiando a mãe até que ele consiga sugar com força e se satisfazer plenamente, ou, ajude a preparar as mamadeiras. É normal que a mama “empedre”, é como dizemos quando o leite não é sugado e se acumula na região. A dor é muito forte, para aliviá-la esquente um pouco de água, acrescente uma colher de sal, uma colher de vinagre, e faça compressas quentes. isto reduzirá o inchaço e a dor local.

Os pais e o bebê

Após o nascimento do bebê convém utilizar a sua licença paternidade para auxiliar a mãe durante esta fase de adaptação. Você pode ajudar fazendo o bebê dormir, pode trocar as fraldas do bebê, e contribuir para que a mãe tenha uma refeição saudável.

Nesta fase não há muito  o que aconselhar, a não ser que se permita ser guiado pelo bebê. Ele poderá lhe ensinar sobre muitas coisas, e lhe dará imensas alegrias. Não se preocupe em ser perfeito, preocupe-se em estar presente.

Teka

Redatora e ilustradora de conteúdo para sites na internet. Curiosa, pesquisadora e investigativa. Tinha o sonho de se tornar astronauta. Acredita que um dia encontrará a "arca da aliança" e trocará informações com civilizações avançadas de outros planetas. Casada há 20 anos, mãe de 3 filhos, compartilhando experiências.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *