10 receitas da vovó para a mamãe e o bebê que funcionam

receitas da vovó



Com o avanço da medicina e a vida moderna,  parece que as pessoas deixaram de acreditar nas soluções simples da vovó, e passaram a cultuar como divinos, os milhares de medicamentos sintéticos que em sua maioria fazem muito mal, pois contém agentes cancerígenos, atingem o fígado, afetam a mucosa do aparelho digestivo e, abalam a nossa imunidade permitindo que fiquemos cada vez mais expostos à vírus e bactérias.

Para contestar o fato de que agimos com coerência em defesa da indústria farmacêutica, que visa seus próprios benefícios, e, fornecer algum suporte científico à sabedoria de nossas avozinhas que sempre atuaram motivadas pelo amor, eu criei este artigo marrento. Mas por uma causa justa.

10 receitas da vovó para a mamãe e o bebê que realmente funcionam

receitas da vovó

Antigamente as pessoas usavam somente as plantas e outros tipos de elementos encontrados na natureza como forma de se prevenirem ou se tratarem contra diversos tipos de doenças. As mulheres que geralmente eram as manipuladoras das ervas e elementos presentes na natureza como método para a criação de antídotos, chás e receitas curativas, eram consideradas bruxas, mas hoje também podem ser conhecidas como cientistas. Acontece que, ao observar as substâncias curativas extraídas das ervas, pôde-se criar um método sintético, capaz de multiplicar suas moléculas em laboratório, e potencializar a sua função. O método utilizado consiste em síntese e análise.

Portanto, os médicos, ao afirmarem que, chás, sucos e outros elementos naturais causam efeito placebo, creem na própria ineficiência do medicamento receitado por eles mesmos a seus pacientes. O que é uma contradição escandalosa. As receitas da vovó funcionam bem sim, inclusive como auxílio ao tratamento de doenças crônicas.

Observe algumas das receitas da vovó, que, em casos de problemas cotidianos e simples como resfriado, eczema, tosse de 2 dias e outros, lhes serão muito bem vindas.

1. Banho de ervas pós parto

A mulher grávida deve tomar o seu primeiro banho ainda no hospital após algumas horas do parto. Mas ao chegar em casa faz bem tomar um relaxante banho de ervas, mesmo que seja somente para enxaguar o corpo. O banho de ervas era muito utilizado na antiguidade para cicatrizar o períneo, que muitas vezes se rompe durante o parto, e, também, para conter infecções por bactérias, além de ser muito relaxante. As receitas variam bastante, mas o confrei e a lavanda imperam. As propriedades do confrei são curativas e antibactericidas. Esta erva serve para tratar eczemas, espinhas e também auxiliam no tratamento da tuberculose. Já a lavanda possui um aroma relaxante, é anticéptica, sedativa e analgésica, além de contribuir para o bem estar e evitar a depressão.

2. Cerveja preta  para aumentar o leite materno

Embora os médicos afirmem que o consumo de água seja o método mais eficiente para as mães que estão amamentando produzirem leite, a cerveja preta era a recomendação das vovós preocupadas com a recuperação pós parto das mulheres de sua família e a produção de leite. Então, observem as propriedades nutritivas contidas em 1 litro de cerveja de qualidade e comparem com as propriedades nutritivas da água e tirem suas próprias conclusões.

1 litro de cerveja equivale a:

  • 700 ml de leite integral
  • 6 ovos cozidos
  • 0,4% de sais minerais (10% das necessidades totais de um adulto)
  • Contém vitaminas do complexo B
  • Fósforo
  • Cálcio
  • Potássio

Estes dados são do Sindicato Nacional da Indústria da Cerveja. Parece como placebo para você? Pra mim não!

3. Canjica para fortalecer o leite materno e o desenvolvimento do bebê

A canjica é uma iguaria preparada com leite integral, amendoim, leite de coco, açúcar mascavo e outros ingredientes como canela e cravo da índia. A vovó dizia que a canjica fazia bem para fortalecer o leite da mãe que está amamentando e favorece o bom desenvolvimento do bebê. Observando atentamente a vovó tem razão. As propriedades nutritivas encontradas em 100 g de canjica seca, auxiliam até mesmo na formação do cérebro do bebê. A canjica contém:

  • 8,5 g de proteína
  • 4,8 g de fibras
  • 3,52 mg de ferro
  • 49 mg de magnésio
  • 166 mg de fósforo
  • 0,92 mg de zinco
  • 0,58 mg de vitamina B1
  • 0,33 mg de vitamina B2
  • 4,81 mg de vitamina B3
  • 0,31 mg de vitamina B5
  • 0,27 mg de vitamina B6
  • 154 mgc de ácido fólico (valor que alcança cerca de 40% das necessidades diárias)

O ácido fólico é o principal componente receitado pelos médicos durante a gestação, e também pode ser encontrado em verduras. Segundo o Dr. Eric Slywitch, nutrólogo, a canjica ainda favorece o coração e a prisão de ventre.

 4. Ficar de repouso para se recuperar dos traumas do parto

Assim que eu tive meus filhos precisei me levantar logo no dia seguinte para ajudar com os serviços domésticos, e não é proibido, mas é recomendado que você não faça muito esforço ou pegue na direção antes de 1 mês. Acontece que o períneo precisa de tempo para se recuperar em caso de parto normal, e, a parturiente que passou por uma cesária também precisa tomar o seu tempo para que o corte cicatrize. Neste ponto, doutor e vovó concordam em 100%.

5. Enrolar o bebê na manta

receitas da vovó

Assim que o bebê sai da barriga da mãe para o mundo, a sensação deve ser de insegurança, portanto enrolar o bebê bem apertadinho na manta faz todo sentido. Atualmente algumas mães vêm abolindo esta prática por considerarem desnecessárias, mas se você reparar bem, é deste modo que o bebê vai até você enquanto está na maternidade, então, não é uma coisa de louco, deve haver algumas vantagens neste hábito, e as vantagens são:

  • Favorecer a sensação de conforto do útero
  • Melhorar a qualidade de sono do bebê
  • Auxiliar no controle dos movimentos involuntários

6. Chá de erva doce para aliviar cólicas abdominais

Segundo os médicos pediatras, os chás são como placebo para bebês, e por isso devem ser evitados, com a intenção de não atrapalhar as mamadas e o ganho de peso. Mas embora na teoria isso funcione bem, na prática o que acontece é outra história, pois eles mesmos receitam dimeticona para acabar com as cólicas, sob o risco do bebê contrair alergias, inchaço da boca e língua, diarreia, aumento de gazes e prisão de ventre (fonte bula do medicamento). Eu não sei quanto a você, mas neste caso sou mais um chazinho caseiro de erva doce que contém propriedades antiespasmódicas, é um relaxante muscular e, ainda segundo os especialistas oferece risco algum que possa ser comprovado. As mães só não devem substituí-lo pelo leite materno.

7. Água morna com sal e vinagre para o desinchaço das mamas

Quando eu precisei amamentar o meu primeiro filho, eu não tinha leite o suficiente e ele chorava de fome. Não, não se tratava do colostro ser transparente, ou, eu na minha inocência achando que não tinha leite, a questão é que o leite não descia e 2 ml a cada 30 minutos não era praticamente nada. Então, além de chorar muito, eu lamentava. Mas quando eu finalmente produzi leite, isso já no terceiro dia, as minhas mamas incharam e então o leite não descia por outro motivo. Mais choro, mais insegurança e, mais desespero. Foi aí que uma prima veio me visitar e me ensinou algo que a sua avó havia feito com ela, banho de salmoura com vinagre. Em menos de 20 minutos eu pude amamentar satisfeita, e sem dor.

O sal é um potente retentor de líquidos, e por isso não é recomendado ingeri-lo em exagero, mas aplicado na pele, como em salmouras, o efeito é contrário. Ele pode acabar favorecendo com que as células eliminem líquido através da urina. O vinagre é outro potente agente contra o inchaço, pois possui um tipo de ácido conhecido como acético, que atua sobre o colágeno. Embora não haja experiências relacionadas ao poder de desinchaço do sal e do vinagre, faça esta experiência científica e comprove você mesma.

8. Canja de galinha reforça a imunidade

A canja de galinha é bastante recomendada por nossas avós para nos fortalecer depois do parto. Ela reforça o nosso sistema imunológico, fortalecendo os glóbulos brancos do sangue. Era amplamente utilizada pelas pessoas do passado para combater a gripe e pós parto. O cientista Stephen Rennar comprovou seus benefícios em laboratório.

9. Pegar o bebê no colo não acostuma mal

Bom, você carregou o bebê por nove meses na barriga e ele já estava acostumado com o seu balançar, desacostumá-lo é que pode ser um processo difícil depois do seu nascimento. Então não lute contra a natureza, seu filho só será bebê uma vez na vida, aproveite para pega-lo, afaga-lo e tê-lo em seus braços enquanto pode, e a neurociência aprova. Dados científicos defendem que o colo faz bem, principalmente enquanto os bebês forem recém nascidos. Acontece que eles ainda precisam sentir a frequência cardíaca e respiratória da mãe para se sentirem protegidos. No colo eles ainda exercitam a visão, pois só são capazes de enxergar a 30 cm de distância,  o suficiente para enxergar e ouvir a voz da mãe.

10. Voltar às atividades sexuais só depois de 40 dias

Entre as receitas da vovó também está uma recomendação sobre as atividades sexuais após o parto, e os médicos também recomendam um prazo de pelo menos 30 dias de repouso para cicatrização e normalização do sangramento. Tanto aquelas que passaram por parto normal quanto por cesária.

Aproveitem todas as dicas!

 

Teka

Redatora e ilustradora de conteúdo para sites na internet. Curiosa, pesquisadora e investigativa. Tinha o sonho de se tornar astronauta. Acredita que um dia encontrará a "arca da aliança" e trocará informações com civilizações avançadas de outros planetas. Casada há 20 anos, mãe de 3 filhos, compartilhando experiências.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *