11 coisas que toda grávida deve parar de se preocupar

gravida



As incertezas rondam o momento da gravidez até o parto, e isto é absolutamente normal, mas se preocupar demais é perca de tempo e pode criar tensão desnecessária entre todos os familiares. Como mãe de três filhos e experiências completamente diferentes vivenciadas entre cada gravidez, posso afirmar que, muito com o que nos preocupamos quando estamos grávidas não passam de grandes bobagens.

Eu sinto que há uma comoção universal quando o assunto é a gravidez, pois as preocupações surgem com uma carga de preocupação maior que a normal, por isso resolvi criar este artigo e libertar algumas de nós, que estão grávidas, neste momento.

11 coisas que toda grávida deve parar de se preocupar

 

1. Coisas que prejudicam o bebê

Além dos produtos químicos que devemos evitar nesta fase, incluindo os hábitos viciosos como, cigarro, bebida alcoólica, alimentos nada saudáveis e sedentarismo,  não há nada mais que você possa fazer para proteger o seu bebê. Então, procure não se preocupar tanto com estas questões. Relaxe e aproveite cada momento seu, com o bebê, enquanto ele ainda está dentro de você, pois esta relação é muito mais importante. Além disto, a maioria dos bebês nascem perfeitos e não o contrário. E se houver algum problema genético, saiba que não foi por algo que você tenha feito durante a gravidez.

Os fatores que mais prejudicam o bebê durante a gestação são, o consumo de drogas, cocaína, e álcool.

2. Necessidade de comer por dois

Comer, ou, não comer, por dois durante a gravidez? Comer o suficiente já está bom. Acontece que muitas mulheres que comem por dois,  estão apenas criando uma desculpa para saciar as próprias vontades. O bebê não necessita de alimento para saciar a fome, ele nem mesmo utiliza o aparelho digestivo para digerir os alimentos que a mãe consome. Ou seja, ele aproveitará somente os nutrientes oferecidos pela mãe durante a gestação.

Isto significa que, frutas, legumes, verduras e proteínas, devem ser consumidos diariamente e em doses satisfatórias, uma vez que os nutrientes estão presentes nestes. Não há nutrientes em hambúrgueres, batatas fritas, refrigerantes ou sonhos de padarias, que possam ser aproveitados pelo bebê, portanto, procure reduzir ao máximo o consumo destes alimentos.

3. Relações sexuais durante a gravidez

Durante a gravidez, algumas mulheres podem se sentir ainda mais atraentes, enquanto outras, nem tanto, isto irá depender de diversos fatores, inclusive do interesse do parceiro. Ocorre, muitas vezes, do homem sentir medo ou preocupação em ferir a mulher ou, o bebê, ao manter relações sexuais enquanto a parceira está grávida, mas não há perigo algum nisso, principalmente durante os primeiros meses.

A mulher poderá se sentir desconfortável em algumas posições enquanto a barriga cresce, o que é normal, basta que ambos encontrem uma posição que os favoreça. Caso a mulher sinta dores e contrações durante as relações sexuais, convém consultar o médico do pré natal e relatar o desconforto.

A cérvix da mulher grávida é bem fechada, ou  seja, nada que entre pela sua vagina encostará no bebê. Em caso de um cérvix incapaz, o médico fará as recomendações necessárias.

Leia também: Sexo na gravidez

4. Evitar alimentos que podem causar alergia ao bebê

Algumas mulheres passam a evitar alimentos que elas acreditam que possam causar alergia no bebê enquanto estão grávidas. Isto é loucura! Uma vez que você evita tais alimentos como, soja, amendoim, frutos do mar e outros… o bebê terá menos chances de criar anticorpos, e aí sim, correrá o risco de apresentar alergia após o seu nascimento.

Você só deverá evitar os alimentos que lhe causem alergias.

5. Cortar o oxigênio do bebê enquanto dorme

Não há chances de você cortar o oxigênio do seu bebê enquanto dorme, a não ser que seja capaz de dormir de bruços após o sexto mês de gestação. Então, não se preocupe com isso, apenas procure uma posição confortável para você na cama.

6. Evitar o estresse para não prejudicar o bebê

Quando os médicos falam que o estresse pode prejudicar o bebê durante a gestação, eles estão relacionando o fato de que a mãe possa sofrer de algum problema que altere a sua pressão arterial, ou, possa lhe cause depressão, devido a seu histórico médico. Para que o estresse vivido pela mãe durante a gestação possa afetar o bebê de maneira psicológica, é preciso que a gestante passe por algo semelhante ao ambiente de guerra, abuso e violência.

As tensões normais do dia a dia, não causarão problemas como, depressão ou ansiedade, em seu bebê após o nascimento, e nem mesmo na sua vida adulta.

7. Vegetarianas devem comer carne durante a gravidez

Não é necessário comer carne durante a gravidez para oferecer fonte de proteína a seu bebê. Gestantes vegetarianas devem se consultar com um profissional nutricionista para receber as recomendações necessárias. Existem outras fontes de proteína natural que podem ser aproveitadas nesta fase.

8. O tipo de parto

Você não pode controlar o tipo de parto que terá para dar a luz a seu filho. Sendo assim, livre-se deste peso agora mesmo e evite este sofrimento. Por mais que a sua vontade seja dar a luz de forma natural ou por meio de cesariana, entenda que não é você quem manda nestas horas. Tudo o que você pode controlar neste momento é o seu GPS, direto para o hospital.

9. Os sintomas da gravidez

Uma gravidez é sempre diferente da outra. É bem possível que eu tenha sentido coisas durante as minhas três gestações que vocês nunca venham a sentir, assim como o contrário. Mas é bom saber que, alguns sintomas são bem comuns como, insônia, maior frequência urinária, náuseas, alteração da pressão arterial e dor de cabeça. Relate estes e outros sintomas que te atormentem a seu médico, ele poderá lhe auxiliar com algumas recomendações.

10. Medo

O medo é algo bastante presente, e pode ser ainda pior no segundo parto. Acontece que passamos por experiências durante o primeiro parto, que podem nos ser traumáticas. Mas também podemos sentir medo da morte, que é ainda mais comum. Para vencer estes medos todos, relaxe, medite, e faça a sua parte. Os médicos e responsáveis lhe auxiliarão durante o processo de nascimento, e você estará amparada. O nascimento é algo natural e a maioria dos problemas relacionados ao parto podem ser resolvidos.

11. Preconceito

O preconceito em relação ao tipo de parto escolhido por você, ou, até mesmo o nome escolhido por você para o seu bebê, acontece e é mais comum do que se imagina. Não se importe com isso. O que você faz da sua vida e suas escolhas, são problemas que dizem respeito somente a você e a seu marido ou companheiro. Sinceramente, comentários cheios de preconceitos revelam apenas os problemas das outras pessoas. Não são problemas seus.

Aproveite todas as dicas, envie este artigo a algum parente ou amiga, e compartilhe nas redes sociais, você estará ajudando muitas pessoas.

Teka

Redatora e ilustradora de conteúdo para sites na internet. Curiosa, pesquisadora e investigativa. Tinha o sonho de se tornar astronauta. Acredita que um dia encontrará a "arca da aliança" e trocará informações com civilizações avançadas de outros planetas. Casada há 20 anos, mãe de 3 filhos, compartilhando experiências.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *